Hospital Clériston Andrade promove 1° Encontro da Consciência Negra

Redação Vibenews

Redação Vibenews

No dia 28 de novembro, o Hospital Geral Clériston Andrade (HGCA) sediou seu primeiro encontro em celebração à Consciência Negra, uma iniciativa que visa promover discussões essenciais sobre o racismo. Com o tema “Um abraço negro traz felicidade”, o evento objetivou ainda celebrar a cultura afro-brasileira. A diretora-geral, Cristiana França, ressaltou a importância de abordar o racismo institucional como um desafio para a equidade no Sistema Único de Saúde (SUS).

O evento começou com um emocionante abraço simbólico na área externa, seguido por uma roda de conversa que contou com a participação de destacados profissionais. Ubiracy Matildes, servidora da Secretaria de Promoção da Igualdade Racial, enfatizou a necessidade de uma educação continuada para os profissionais de saúde, destacando que os negros merecem reparação social pelos sofrimentos históricos no Brasil. Ubiracy Matildes, comprometida com a causa, declarou: “Eventos como esse são essenciais, mas é necessário a implementação de uma educação continuada para profissionais de saúde em todos os meses.”

O talk show, mediado por Daiane Cerqueira, enfermeira da unidade, trouxe importantes vozes, incluindo Bel Pires (Historiador), Cristiane dos Santos (Professora), Ellen Alcantara (Enfermeira), Urania Santa Bárbara, servidora da Secretaria de Justiça e Direitos Humanos, e Frei Cal (Radialista). As discussões abordaram questões importantes sobre desigualdades raciais, e a diretora Cristiana França apresentou uma reflexão contundente sobre o racismo institucional como um desafio persistente no cotidiano do SUS. “Nossa missão é confrontar o racismo institucional, um desafio persistente que exige ações concretas para promover a igualdade no SUS.”

O ápice do encontro foi a apresentação do grupo de capoeira liderado pelo mestre BBzão, que trouxe não apenas entretenimento, mas também uma expressão cultural rica e emocionante. Além disso, o evento contou com a participação de trancistas, resgatando a beleza e a importância dos cabelos afro, e stands da agricultura familiar, onde trabalhadoras rurais negras expuseram e venderam produtos, destacando a força e a contribuição dessas mulheres para o desenvolvimento sustentável.

“Este encontro histórico destaca o papel fundamental das instituições de saúde na promoção da igualdade racial e na busca por um sistema de saúde mais equitativo para todos os cidadãos, independentemente de sua origem étnica”, refletiu Daiane Cerqueira, mediadora da roda de conversa.

FONTE: ASCOM/HGCA

Compartilhar:

Facebook
Twitter
Pinterest
WhatsApp

Relacionados

5 milhões se inscreveram para Enem 2024

Ministério da Educação (MEC) e o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) registraram 5.055.699 inscrições para o Exame Nacional do Ensino

Participe do Sorteio Cadastrando Abaixo!